Até a década de 1980, a saúde da mulher era abordada basicamente com a reprodução e o puerpério. No entanto, nos últimos 30 anos, outras necessidades e demandas foram levadas em consideração ao serem realizadas políticas públicas voltadas às mulheres. Um exemplo disso é a campanha do Outubro Rosa (você pode ler mais sobre ela aqui), que se iniciou nos Estados Unidos como uma tentativa de aumentar a atenção das pessoas para o câncer de mama. No entanto, hoje em dia, além do câncer de mama, outras doenças que acometem normalmente as mulheres são abordadas na campanha, com um esforço de englobar a saúde feminina como um todo. Conheça algumas delas e saiba como se proteger.

Como citado anteriormente, o foco principal da campanha é o câncer de mama, segunda doença que mais acomete mulheres no Brasil. Ela aparece quando células da mama se multiplicam de maneira anormal, formando um tumor. Suas causas são diversas, podendo ser por fatores ambientais e comportamentais (obesidade após a menopausa e sedentarismo, por exemplo), de história reprodutiva e hormonal (menarca antes dos 12 anos, menopausa após os 55 anos e primeira gravidez após os 30 anos, por exemplo), além de fatores genéticos e hereditários (como histórico familiar de câncer de ovário e mama). A detecção precoce pode ajudar a combater a doença, diminuindo o risco de óbito. A mulher precisa estar sempre atenta ao próprio corpo, além de realizar mamografia regularmente, principalmente após os 50 anos.

Outro tipo de câncer que acomete mulheres e que possui muito pouca atenção é o de ovário. Apesar da baixa incidência, este é o câncer que possui a menor taxa de sobrevivência, pois ele é geralmente assintomático e portanto não é percebido precocemente. Porém, à medida que o tumor cresce, ele pode causar inchaço e dor na região pélvica, abdômen, costas e pernas. Assim como no câncer de mama, as causa da doença podem ser diversas: fatores hormonais (ter ingerido o hormônio estrogênio sem progesterona, por exemplo), hereditários (componente genético na família), dentre outros motivos, podem ser a causa do aparecimento da doença. Para sua prevenção, é importante realizar o exame transvaginal com certa periodicidade de modo perceber alterações no ovário.

O HPV, vírus que causa o câncer do colo do útero, é um outro foco da campanha do Outubro Rosa. Na maioria das vezes, nenhuma doença decorre desse vírus. Porém, algumas vezes ele causa alterações celulares que causam verrugas genitais e podem vir a causar o câncer. Os sintomas são muitas vezes silenciosos mas, após a evolução da doença, eles podem aumentar ao ponto de causarem sangramentos vaginais e dores abdominais fortes. Por ser uma doença sexualmente transmissível (DST), sua prevenção ocorre a partir do uso de camisinha que, mesmo assim, ainda não garante 100% de proteção ao corpo da mulher. A melhor maneira de evitá-la, então, é a partir da vacinação, que pode ser feita em homens e mulheres a partir dos 9 anos de idade, em três doses.

Ter alguns dos sintomas acima não indica necessariamente que uma pessoa está com uma das doenças. Porém, eles causam alerta às mulheres para que elas procurem um médico para terem certeza que sua saúde está em dia. Lembre-se: a melhor maneira de não adoecer é se prevenindo. Conte com a gente!

LPC Resultado de Exames

RESULTADO
DE EXAMES