1. A doença

O rotavírus é a principal causa de gastroenterite aguda grave. Afeta mais de 95% dos bebês e das crianças pequenas por volta dos 5 anos de idade, independentemente de status socioeconômico ou de condições ambientais. Estima-se que em todo o mundo, 138 milhões de crianças desenvolvam gastroenterite por rotavírus a cada ano, e se não tratada pode causar desidratação fatal. Em adultos é mais rara, tendo sido relatados surtos em espaços fechados, como escolas, ambientes de trabalho e hospitais.

A doença apresenta curto período de incubação, com início abrupto, vômitos em mais de 50% dos casos, febre alta e diarréia profusa, culminando em grande parte dos casos com desidratação. A transmissão é fecal-oral, por água ou alimentos, por contato pessoa a pessoa, objetos contaminados e, provavelmente, também por secreções respiratórias.

Existem diversos sorotipos de rotavírus. Atualmente há duas vacinas disponíveis a Pentavalente (que protege contra 5 tipos) e a Monovalente (que protege contra um tipo).

 

2. A vacina

Via: oral

Idade: a partir de 2 meses de idade até 8 meses incompletos

Esquema: 3 doses (2 – 4 – 6 meses)

Obs.:  

  • Orientar a família a lavar bem as mãos apos as trocas de fraldas.
  • A vacina não pode ser aplicada em maiores de 8 meses. Logo recomenda-se não atrasar as doses dessas vacina.
  • As diferentes vacinas contra rotavírus não são intercambiáveis.

 

3. Contraindicações/reações adversas 

  • Recomenda-se adiar a vacinação na vigência de doença aguda associada a comprometimento do estado geral, acompanhada ou não por febre.
  • A vacina esta contra indicada em caso de alergia grave a algum componente da vacina.
  • As principais reações adversas apos a vacinação são: dor, febre baixa e mal estar. Essas reações não são consideradas graves e não contra indicam posteriores reforços vacinais.
LPC Resultado de Exames

RESULTADO
DE EXAMES